Concreto protendido – Aumentando vãos e reduzindo espessuras



O concreto é utilizado em larga escala nas construções por causa de sua resistência e durabilidade. Este material de construção conquistou o público devido a sua versatilidade, e ao longo dos anos, o avanço tecnológico permitiu que novas tecnologias em seu emprego fossem utilizadas, uma delas, é justamente o concreto protendido. O concreto é composto por cimento, água, areia e pedra (ou brita) que são os agregados naturais que enriquecem a mistura. O cimento é responsável por dar a sustentação, já que possui substâncias que reagem quando em contato com a água (reação de hidratação), o que o faz tornar-se rígido, já os outros materiais que compões a massa possuem diferentes funções.

Cabos de protensão sendo distribuídos sobre futura laje concretada

Cabos de protensão sendo distribuídos sobre futura laje concretada

Dois tipos de concreto atualmente utilizados em construções são o concreto armado e concreto protendido.

O concreto armado define-se por ser uma mistura de concreto com barras de aço em seu interior, que o sustentam. É utilizado em grande escala na construção civil, pois tem resistência altíssima, custo baixo e facilidade de uso. Já o concreto protendido tem vergalhões de aço que atuam comprimindo o concreto para que este não sofra tração nem suas consequências.

Mas como funciona o concreto protendido?

No concreto armado, toda a estrutura (armação) é envolta por concreto, num processo conhecido como “concretagem”, na hora da construção. No caso do concreto protendido, o aço é tensionado antes desse processo concretagem. A peça é comprimida por equipamentos especiais ainda durante sua fabricação através de cabos de aço que são colocados dentro de bainhas no interior das peças. São moldes de aço que recebem o concreto e são retirados apenas após a secagem total do mesmo.

A ideia se deu porque o concreto não resiste bem à tração e como forma de ampliar a utilização da resistência à compressão e diminuir (ou até mesmo anular) as fissuras geradas pelo carregamento externo, aplica-se um conjunto de esforços na estrutura (protensão).

Existem dois tipos de protensão: aderente e não aderente. A protensão com aderência é feita quando há necessidade de alta protensão de densidade, como no caso de construções públicas (pontes, viadutos, etc.). Ela é extremamente resistente. Nesse tipo de protensão, o cabo de aço fica isolado do concreto e recebe injeção de nata de cimento para o preenchimento da bainha, restabelecendo a aderência entre o concreto e o aço.

A protensão sem aderência possui as mesmas qualidades do concreto protendido aderente, porém com custo reduzido já que dispensa a injeção posterior de nata de cimento. Seu uso se dá em construções de menor porte, como residências.

As grandes vantagens desse tipo de concreto incluem, além da redução de fissuras e aumento de durabilidade, a economia de concreto e maior segurança em situações como incêndios e fenômenos naturais extremos como terremotos. Seu custo, porém, é mais alto e exige mais planejamento e mão de obra cuidadosa na hora da execução.

cabos de protensão na laje de concreto

cabos de protensão na laje de concreto

NOTÍCIAS DO MOMENTO

3 Comments - Add Comment

Comentários