Disjuntor – Chave no projeto elétrico

Apesar de pouco lembrados no dia-a-dia, principalmente quando tudo está indo bem, o disjuntor é um dispositivo de enorme importância com relação à proteção de um imóvel. São eles os responsáveis por evitar curtos-circuitos e sobrecargas, afastando as consequências desses problemas elétricos. Também proporcionam estabilidade no fluxo elétrico, evitando interrupções, sendo por norma obrigatórios em qualquer instalação elétrica predial.

Disjuntor unipolar de 16A

Disjuntor unipolar de 16A

Funcionamento do Disjuntor

O disjuntor age principalmente quando há um pico de corrente elétrica superior ao seu alcance, interrompendo o fluxo de energia imediatamente, ou seja, “desarmando-se” (ele desliga). Esses picos ocorrem quando há sobrecarga na rede ou problemas na rede elétrica, iluminação ou com o uso das tomadas. A vantagem é que ele pode ser manuseado após seu desarme. Isso também é um ponto a favor quando, por exemplo, é necessário desligar manualmente a energia de um local para que sejam efetuados reparos ou instalações elétricas.

Disjuntores podem ser térmicos, magnéticos, termomagnéticos e ainda de baixa ou alta tensão. Além disso, cada disjuntor possui um limite de corrente, que deve estar de acordo com o estipulado ao circuito ao qual ele irá atender.

Os térmicos possuem um sistema simples e, assim como certos fusíveis, evitam sobrecargas e desarmam-se diante do aquecimento de suas placas bimetálicas. Os magnéticos possuem bobinas que, quando atravessadas pela variação da intensidade elétrica, deslocam um núcleo de ferro que abre o circuito, protegendo assim a fonte e a instalação elétrica.

O mais utilizado em instalações residenciais e comerciais são os disjuntores termomagnéticos. Eles possuem três funções: A manobra normal, que possibilita a abertura e o fecho de maneira manual e voluntária; proteção contra curtos, que, através de uma válvula solenoide possibilita a abertura do disjuntor se há o aumento intenso da corrente elétrica e proteção contra sobrecarga, por sua vez desempenhada através de um atuador bimetálico sensível ao aquecimento, que dispara por causa do efeito térmico da sobrecarga.

quadro de distribuição de disjuntor

quadro de distribuição de disjuntor

Disjuntores de tensão são utilizados para interrupção de altas correntes. Eles podem ser de grande volume de óleo (com óleo mineral, que possui característica isolante e extintora) e são utilizados há bastante tempo, para média e alta tensão. Possuem grande capacidade de ruptura no caso de curtos-circuitos. Os de pequeno volume de óleo cobrem média tensão e são necessárias várias câmaras para cobrir uma voltagem mais alta.

Existem ainda disjuntores a ar comprimido, que utilizam um compressor como meio de isolamento e acionamento de contatos na hora de evitar curtos e sobrecarga. São duas câmaras de extinção as presentes num disjuntor a ar comprimido. A manutenção dos disjuntores exige cuidados. No que diz respeito à suas partes mecânicas, é sempre importante verificar se estão funcionando corretamente, como prevenção. Recomenda-se total cautela no manuseio de disjuntores e em todo e qualquer outro tipo de dispositivo ligado à energia elétrica.

Os quandros de distribuição de disjuntores, de preferência devem ficar o mais centralizado possível no imóvel, assim se economiza muito com fios e eletrodutos para a alocação dos disjuntores, além de facilitar o emprego de certas formas de alocação dos condutores elétricos.

NOTÍCIAS DO MOMENTO

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (13 votes, average: 5,00 out of 5)
Loading...

Comentários