Drenagem – tudo sobre sistemas de drenagem pluvial



A drenagem consiste em escoar as águas pluviais (provenientes das chuvas) de um terreno alagado ou muito úmido por meio de aparelhos e operações específicas, retirando de uma região e conduzindo-o para outra a fim de evitar enchentes, principalmente, como também para evitar problemas com umidade ascendente em edificações. Esses sistemas podem ser por meio de tubos, canais, valas, fossos ou túneis e retiram o excesso de água presente na área para que possa tornar o solo mais aproveitável possível, deixando-o em condições de desenvolvimento adequado ao cultivo das lavouras e outras atividades similares. É uma técnica que auxilia no processo de irrigação e em regiões semiáridas evita o alagamento do solo, assim como a salinização (presença de sal).

drenagem-agricola

drenagem agrícola, drenagem de áreas de larga escala

Instalação de sistemas de drenagem pluvial

Antes de instalar qualquer sistema de drenagem é necessário que se faça/tenha um projeto bem elaborado, bem como analisar as condições do terreno, como: o reconhecimento e a delimitação da área que será drenada; o levantamento topográfico, ou seja, a descrição exata e minuciosa do lugar; estudo do lençol freático, que são reservatórios subterrâneos naturais provenientes das águas das chuvas (por isso que é de fundamental importância verificar o clima da região para se certificar o volume e a ocorrência de precipitações (quedas de água no solo, em forma de chuva, neve ou granizo)); o estudo do solo, que consiste em verificar a porosidade dele (relação entre os espaços vazios formados por poros presentes e o seu volume total) e sua condutividade hidráulica, ou seja, qual a velocidade, o tempo, a possibilidade, entre outros fatores, de transportar e elevar a água por seus meandros; e a elaboração do projeto, que consiste em verificar após estes outros passos citados, qual o melhor espaçamento do tubos/canos (e outros sistemas já citados) para ser utilizado naquele determinado solo.

vala de drenagem

vala de drenagem

Além de evitar saturação de água no solo, a drenagem vem para melhor a resistência e a estruturação do solo e para isso, pode ser feita de duas maneiras: a drenagem subterrânea e a superficial. A subterrânea pode ser feita de duas maneiras: através de drenos cobertos e com pequenos furos para que a água entre. Eles podem ser em tubos de PVC (abreviação de polyvinyl chloride, que significa policloreto de vinila, um plástico não totalmente derivado do petróleo, pois ele passa por uma mistura de aditivos) cinza, plástico branco ou manilha (tubo de grande diâmetro para condução de água ou esgoto) de cerâmica. Esses tubos são “revestidos” por materiais naturais da própria região, como pedra e bambu, entre outros. Tem um custo mais alto no início, mas é indicada para locais permanentes; e por drenos abertos ou valas, que tem custo bem mais barato que a primeira opção, mas diminui a área de plantio. Essas valas precisam estar desobstruídas, ou seja, sem nada para atrapalhar, ter o fundo impermeabilizado para que a água não seja absorvida e para que não cresça vegetação lá dentro e necessitam de caimento (de no mínimo 2%) para que a água possa fluir.

tubo de drenagem

tubo de drenagem

Nas encostas (declives de montanhas, morros, montes etc.), as valas devem ser em escadas, a fim de diminuir a velocidade de água e não necessitam de revestimento, uma vez que essa velocidade acabaria o arrancando. A drenagem subterrânea tem vantagens em relação a superficial, como a diminuição da incidência de focos de mosquitos, pois como os tubos estão enterrados, não geram empoçamentos (poças) de água (meio comum de reprodução de algumas espécies), facilitam o trabalho com máquinas agrícolas e economizam em área útil, uma vez que no caso de valas abertas perde-se muito em área.

A drenagem superficial consiste em eliminar a água da superfície, criando diferença de níveis entre a área alagada e a área a ser despejada. Pode ser feita através da técnica de desaguamento por elevação mecânica (por alguma válvula), por desaguamento contínuo, que é a ação da gravidade fazendo efeito e por desaguamento vertical, onde se evacua a água drenada em uma camada permeável do solo abaixo de uma camada impermeável.

drenagem superficial para campos

drenagem superficial para campos

NOTÍCIAS DO MOMENTO

2 Comments - Add Comment

Comentários