Lustres – Decore a sua iluminação

Inventados há pelo menos três milênios, os lustres eram mais do que uma facilidade para iluminar locais amplos em épocas sem energia elétrica: eles facilmente podiam ser tidos como símbolo de riqueza e luxo. Quanto maior o lustre, mas poderoso o dono da casa. Desde os castelos medievais até os palácios vitorianos, passando pela arte em vidro dos sopradores de Murano, na Itália, os lustres ocuparam e ainda ocupam peça que une utilidade e requinte sem deixar de cumprir sua principal função: iluminar.

Lustres Modernos

Atualmente existem muitos tipos de lustres no mercado, dos modelos mais modernos e arrojados aos mais clássicos e conservadores.

Partindo-se do princípio que não habitamos castelos medievais escuros e sim casas ou apartamentos menores, dotados de luz artificial, estes objetos ganharam novas formas e adaptações, mantendo sua elegância. Sinal de bom gosto, essas peças podem ser utilizadas em praticamente todos os cômodos de uma casa, desde que a regra da proporção seja respeitada: quanto maior o ambiente, mais chance de ousar no tamanho no lustre. E quanto menor for, menor será a possibilidade de escolher algum que tenha muitos penduricalhos.

Halls e salas de estar exigem lustres que marquem: é provável que a iluminação seja a primeira coisa notada pelo visitante (galerias de arte, teatros e hotéis costumam ter lustres em seus halls de entrada), indicando acolhimento e requinte. Adotar a “política do espelho” também é importante: cada objeto decorativo de uma casa deve possuir características próprias do dono – ser um reflexo dele. Se uma pessoa possui gostos clássicos, dificilmente irá se sentir atraída por luminárias em formatos arrojados ou não lineares; consequentemente, o objeto se tornará um detalhe visual incômodo. Mesmo se estiver contando com a ajuda de um decorador, escolher o lustre pessoalmente é uma boa pedida para garantir satisfação.

Em ambientes como cozinhas e salas de jantar de apartamentos pequenos, o lustre não está totalmente vetado: há diversas opções no mercado que permitem seu uso. Com visual clean e simples, os pendentes não possuem “braços”: são mais parecidos com luminárias de teto do que com os candelabros antigos e, por essa razão, podem ser utilizados normalmente. O cuidado, porém, deve estar presente na hora da escolha e instalação: o pendente tem que ficar na altura ideal para não “brigar” com o restante dos objetos do cômodo ou atrapalhar a visão de que está à mesa.

Salas de estar permitem mais ousadia: lustres de cristal dão charme e sofisticação e combinam com praticamente tudo – até mesmo com móveis modernos. Leve em consideração seu gosto pessoal, as cores que já utiliza no ambiente (cores fortes necessitam de mais luz) e o tipo de forro que sua casa possui: no caso do ter forro de gesso, costuma ser sinônimo de economia, além de permitir que você escolha o local da iluminação e os pontos que mais deseja que sejam destacados.

Fotos de Lustres

NOTÍCIAS DO MOMENTO

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votes, average: 5,00 out of 5)
Loading...

Comentários