Reformas – Como planejar uma reforma sem dor de cabeça

Reformar um ambiente pode se tornar um grande incômodo se o projeto não for bem planejado. É o planejamento que garante o menor número de “sustos” possíveis; tanto nos prazos de finalização quanto no orçamento disponível para a empreitada. Colocar na ponta do lápis todos os detalhes com bastante atenção pode ser a chave para uma reforma satisfatória e sem “surpresas”.

Reforma em casa

Reforma em casa

Quando um quarto ou sala está passando por reforma, é mais simples fazer as atividades em outros lugares. E também é mais simples se falar em obra numa residência sem moradores ainda. Porém, alguns cômodos são mais trabalhosos de se reformar que outros. Isso acontece principalmente com banheiros e cozinhas. O principal motivo é que esses cômodos geralmente são de “uso coletivo” por assim dizer – e diário. Ou seja: deixar o banheiro fora de uso durante determinado período envolve escolher outro lugar para um (ou várias) pessoas tomarem banho, por exemplo. Se a cozinha está temporariamente “interditada”, isso envolve realizar as refeições em restaurantes ou pedir comida pronta. Em suma: mais dinheiro gasto.

Por isso, mexer com o banheiro ou a cozinha, envolve também pensar em detalhes básicos do dia-a-dia. Algumas dicas úteis de planejamento podem ajudar que está pensando em reformar um desses ambientes (ou ambos).

1-  A necessidade de cada ambiente

Deixar claro o objetivo da obra e a necessidade de cada ambiente é o primeiro item básico do planejamento. O que vai ser tirado do lugar? O que vai ser trocado? Qual é a meta final (como o cômodo deverá ficar quando a obra terminar)? São perguntas essenciais. Retirar ou substituir o que não está bom e priorizar a funcionalidade diária é o primeiro passo, e não apenas a função estética. Por isso, deve-se elencar tudo o que será trocado ou refeito, mesmo que grosso modo, mexendo no projeto aos poucos, conforme necessidade.

Confira exatamente o que precisa ser trocado ou arrumado em cada ambiente

Confira exatamente o que precisa ser trocado ou arrumado em cada ambiente

2- Orçamento disponível

Após fazer uma lista de tudo o que precisa ser feito no cômodo, é importante verificar também outros detalhes como fiações elétricas, interruptores, tomadas, etc. que ficarão ou não no mesmo lugar. Tubulações e encanamentos serão mantidos ou não? Tudo deve ser analisado e o custo de cada pequena peça deve ser calculado. Se o banheiro vai ganhar novas louças, é importante anotar também torneiras, tubos e conexões. Haverá instalação de novo piso ou recuperação do antigo? Adesivos, pastilhas e ladrilhos são opções em conta para quem deseja manter o estilo anterior, renovando pouca coisa. Eletrodomésticos da cozinha serão trocados? Uma ideia é vender os antigos e investir o lucro na própria reforma.

Cada um desses detalhes deve ser calculado e anotado no orçamento disponível. Se o dinheiro é menor do que o esperado, vale a pena mexer apenas no essencial e pechinchar sempre que possível.

Outro fator importante é deixar uma quantidade de dinheiro a mais disponível, no caso de aparecer alguma eventualidade.

3- Um ambiente de cada vez

Quando uma reforma é iniciada, é normal que a ansiedade tome conta do proprietário da residência. Porém, é importante lembrar que dependendo do tamanho do projeto, a reforma pode levar de semanas a meses. Apenas pequenos retoques duram horas ou dias. Portanto é de grande valia considerar reformar um cômodo por vez. Para que os transtornos da obra não se tornem ainda mais difíceis de lidar, por causa da demora em serem finalizados.

Reforma da casa toda

Reforma da casa toda

4- Equipe de execução da reforma

Na hora de escolher quem irá realizar o trabalho, é primordial reunir o maior número possível de informações a respeito da pessoa ou da equipe. A melhor opção é escolher pessoas capacitadas para o trabalho, de preferência indicadas por alguém de confiança ou cujo trabalho seja reconhecido na área. Se houver oportunidade, buscar informações com arquitetos e profissionais da área pode garantir um bom projeto com maior economia de dinheiro, além de não ter de se preocupar em procurar a equipe certa para o trabalho.

Independente da situação, outro ponto principal é vistoriar o trabalho sempre que possível. Olhar de perto a realização do serviço e verificar se o material adquirido para a obra está sendo usado da maneira devida.

O cuidado na escolha da equipe de execução é essencial

O cuidado na escolha da equipe de execução é essencial

5- Contratar um decorador é possível!

Hoje em dia, a cozinha e o banheiro deixaram de ser apenas cômodos “obrigatórios” numa casa para se tornarem espaços acolhedores, decorados e bonitos. É normal que as pessoas queiram adequar-se a essas tendências, portanto aproveitar o momento de reforma para redecorar o lugar é uma ótima pedida.

Nem toda ajuda profissional custa muito caro. Já existem decoradores disponíveis que cobram em média R$150,00 a R$200,00 a hora técnica. São eles que tiram dúvidas específicas de acordo com o ambiente apresentado e ainda dão palpites para as compras com economia. Pesquisar na Internet e em escritórios físicos é uma opção para quem deseja receber um conselho profissional, mas não sabe exatamente a quem recorrer.

NOTÍCIAS DO MOMENTO

Comentários