Trabalho Em Altura – Tudo o Que Você Deve Saber

Considera-se trabalho em altura qualquer atividade que é a em altura maior que 2 metros a partir da base principal. Confira mais informações neste artigo.

Além de atividade realizada a mais de 2 metros da base principal existem outros pontos que definem esse tipo de trabalho. A seguir você entenderá o que é trabalho em altura e verá maiores informações sobre a NR 35 e EPIs.

O Que é Trabalho em Altura?

Trabalho Em Altura

Para ser considerado nessa modalidade, além dos 2 metros de altura da base é preciso que a atividade incida em risco de queda do profissional.

Desse modo, essa modalidade de serviço requer muito mais atenção para que seja executado com segurança.

Além disso, várias estratégias devem ser implementadas com o objetivo de minimizar os riscos corridos pelo trabalhador.

Mas vale ressaltar que estas táticas foram pensadas não somente para manter o funcionário em segurança. Elas também devem garantir que a atividade seja realizada de maneira satisfatória.

Em síntese, o trabalho em altura oferece riscos ao trabalhador que podem ser fatais, por isso, temos normas relacionadas.

Todavia, para a implementação destas diretrizes de segurança, os funcionários envolvidos recebem treinamento específico e são obrigados a receber habilitação para realizar as ações.

Trabalho em Altura NR 35

Estamos falando sobre normas, mas quem as define? Como se faz cumprir todo esse protocolo?

Bem, tudo o que precisamos saber sobre o assunto está presente na NR 35. Nela, encontramos as obrigações e direitos, tanto do empregador e encarregado de obra quanto do trabalhador, por exemplo:

É de responsabilidade do empregador quando é exercido o trabalho em altura:

  • Garantir a execução das medidas de proteção constituídas na NR-35;
  • Assegurar a efetivação da análise de risco e também a emissão da autorização de trabalho, quando houver necessidade.
  • Desenvolver metodologia operacional para as atividades frequentes de trabalho em altura;
  • Igualmente, garantir aos trabalhadores dados atualizados sobre os riscos e as devidas medidas de controle;
  • Também, afiançar que as atividades sejam começadas apenas depois que todas as medidas da NR-35 forem seguidas;
  • Ainda deve suspender as atividades sempre que um risco não previsto se apresentar;
  • Por fim, precisa rever sempre os métodos adotados e, em caso de ocorrência, treinar a equipe outra vez;

Saiba também como funciona a lei do inquilinato.

Responsabilidades do trabalhador no trabalho em altura:

  • A princípio, ele deve cumprir as disposições legais e regulamentares a cerca do trabalho em altura, inclusive os procedimentos despachados pelo empregador;
  • Contribuir com o empregador na implementação das disposições presentes na NR-35;
  • Também precisa interromper suas atividades cumprindo o direito de recusa, sempre que haverem evidências de riscos graves e iminentes para sua própria segurança e saúde ou a de outras pessoas, informando imediatamente o acontecimento a seu superior hierárquico, que deverá tomar as medidas oportunas;
  • Cuidar da sua segurança e saúde e a de outros indivíduos que possam ser afetadas por seus atos ou omissões no serviço;
  • Atualizar o curso para o trabalho em altura a cada 2 anos e sempre que existir mudança na legislação, na empresa ou outra situação que necessite de atualização;

EPI Para Trabalho em Altura

Trabalho Em Altura

Sem dúvida, a parte fundamental do trabalho em altura é a proteção dos trabalhadores e para que essa proteção seja realente eficiente, é necessário ter e usar adequadamente as EPIs.

Sendo assim, conheça as principais EPIs:

  • Luvas de segurança;
  • Trava-quedas;
  • Talabartes simples;
  • Cinto de Segurança tipo Paraquedista ou Cinto de segurança tipo Alpinista;
  • Botinas de segurança;
  • Capacete com jugular;
  • Óculos de segurança;
  • Talabartes ajustáveis;
  • Talabarte Y;

Exames Para Trabalho em Altura

A priori, cada atividade exige m série de exames diferentes,mas estes são os principais:

  • Acuidade visual
  • Hemograma e glicemia de Jejum
  • Eletrocardiograma e eletro encefalograma
  • Espirometria e avaliação Psicológica

Comentários